sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Baseado em fatos reais - 127 Horas

De algum modo, a revista do mês de Dezembro/2010 da Audi, produzida pela editora TRIP caiu na minha mão. Particularmente gosto muito das revistas de marca bem produzidas, elas levam informações com o objetivo de encantar o público alvo, permitindo uma conexão e relação maior com os stakeholders, principalmente os consumidores. O objetivo não é somente promover mas fidelizar as marcas. A revista da Audi, tem uma qualidade exuberante, advindo de uma linha editorial moderna e já consolidada no mercado, que é a da editora TRIP.
Bom, eu sei que quando eu tiver muito dinheiro, com certeza vou querer um Audi...rs

Como o foco aqui é marketing e promoção de filmes, o que encontrei na revista não foram somente carros e propaganda de artigos para pessoas muito ricas. A partir da pauta "equilibrio", diversas histórias surgiram, mas a que mais me chamou a atenção foi a matéria sobre a história de Aron Ralston.

Em um resumão Aron Ralston era um aventureiro norte americano, guia de um parque, que gostava muito de se embrenhar por áreas remotas sem avisar ninguém. Um dia, decidiu explorar os cânions do parque em que estava e algo de muito grave ocorreu. A natureza seguindo seu curso, pregou uma peça em Aron que colocaria a prova toda a sua resistência física e mental, sua coragem e sua vontade de viver.
Uma pedra caiu em cima de sua mão, prendendo-o em um cânion, solitário, sem ajuda, somente em posse de meio cantil de água, um burrito e um jogo de canivetes multiuso.
Aron está vivo e sua história continua a chocar, mas também a motivar pessoas do mundo inteiro, como eu!

Atualmente a história de Aron é espalhada pelo mundo através de um filme.
O premiado e agora lota cinema Danny Boyle dirige o filme 127 Horas, que conta com James Franco no papel de Aron. Com certeza é para mim o filme mais esperado desde o ano passado, simplesmente pelo fato de que gosto de aventura, natureza e de filmes biográficos, além de achar a história de Aron fantástica, a muito tempo.

A matéria da revista da Audi, vai além de contar a história de Aron e entrevistá-lo, ela divulga o filme que deve estreiar no Brasil em março. Tudo a ver com a pauta equilibrio, a matéria imerge o leitor na história, que na verdade fala muito sobre como foi o desenvolvimento do filme. O "desenho" é o seguinte, para complementar a pauta equilibrio proposta, assista ao filme 127 Horas, você irá gostar.
A divulgação de filmes dentro de linhas editoriais não é novidade, mas as histórias reais, permitem um aprofundamento que é essencial para a divulgação de filmes biográficos, permitindo a produção de matérias interessantes, sobre uma história real que está em um filme (baseado em fatos reais). Existe um envolvimento, em que um bom autor pode transmitir aos leitores e faze-los sentir vontade de assistir ao filme, buscando saciar suas indagações visuais sobre o que foi contado. Nestes casos, os leitores podem ficar envolvidos com a história, sabemos que pessoas envolvidas divulgam mais determinado produto (filme), o boca a boca aumenta.

É muito positivo este tipo de ação, pois é o caminho natural de um leitor de revista se atentar as matérias (e lê-las), podendo então causar um efeito de interesse para assistir ao filme ou até como citado, de encantamento.
No caso da revista Audi, o seleto público leitor da revista são potenciais target, que tem tudo para se tornar um sucesso de bilheteria, mas o ponto na minha opinião é, o público leitor é constituído provavelmente por líderes. Líderes de empresas, sociedades, comunidades, ou sejam, que possuam uma influência e um círculo social relevante. A história de Aron e do filme 127 Horas, pode se propagar para uma fatia importante de mercado (alto poder aquisitivo - consumidores de entretenimento), e de uma forma lúdica, interessante e instigante, afinal é uma história real, de lição de vida. Conquistando um público líder de opinião, conquista-se uma bela fatia de mercado (fato)!

Tenho minha versão sobre se esta matéria foi estratégicamente colocada na revista ou não, mas isto fica para mim.
 
Gostei da matéria e da divulgação do filme, creio que impactou positivamente um público seleto e relevante para o sucesso comercial do filme, sendo importante estratégia em especial para os filmes Biográficos e baseados e fatos reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário